Procedimento cardiológico de alta complexidade é realizado no Madrecor Hospital

Procedimento cardiológico de alta complexidade é realizado no Madrecor Hospital

Paciente passa bem e teve benefícios com o procedimento.

“O atendimento do hospital fez toda a diferença. Ele salvou a minha vida”. Foi com essas palavras que Selma Aparecida Santana Miranda definiu toda a sua trajetória aqui no Madrecor Hospital. A princípio, ela passou por outro hospital da cidade, sentindo dores no peito e foi encaminhada para casa, pois o mesmo não tinha a estrutura necessária para o atendimento que ela precisava.

Ela veio aqui ao Madrecor pela proximidade dele com a sua casa e conta que o atendimento e o trabalho da equipe médica foram essenciais para que ela tivesse um bom diagnóstico e fosse tratada corretamente. “Vim ao Madrecor depois de passar por outro hospital. Sou cuidadora de idosos e já vinha me sentindo mal há um tempo. Procurei atendimento e fui bem acolhida, realizei exames e constatei que tinha algum tipo de lesão no coração, que causava as dores e mal estar que sentia. Fui medicada e retornei para casa em uma sexta-feira. No fim de semana passei mal e fui internada novamente e os médicos decidiram realizar o procedimento, para ter mais detalhes sobre o meu caso,” explicou Selma.

De acordo com Selma, todo o atendimento fez a diferença para salvar a vida dela e alertá-la sobre os cuidados com o coração, visto que ela já tem outras doenças que podem prejudicar sua saúde, como a diabetes e pressão alta. A filha de dona Selma, Pollyana Leandra Santana Miranda conta que a equipe médica que cuidou da dona Selma, composta pelos cardiologistas Marcus Vinícius de Freitas Moreira, Edson Elviro Alves e Fernando Augusto Almeida, sempre ajudaram e explicaram os detalhes da saúde de sua mãe. “A equipe médica sempre me explicou com todos os detalhes o quadro da minha mãe e não deixou dúvida em nenhum momento. As enfermeiras sempre cuidando da minha mãe com todo cuidado e sempre atenciosas.”

Além disso, Pollyana nos contou que nutre uma gratidão e um sentimento de carinho pelo hospital, pois todo o atendimento fez com que a sua mãe pudesse ser diagnosticada e tratada a tempo. “O atendimento rápido fez a diferença, pois se não tivesse esse atendimento minha mãe não estaria aqui. Com certeza fez toda a diferença e tenho muito o que agradecer desde as recepcionistas do pronto socorro até a equipe médica e, principalmente, as enfermeiras da UTI.”

Alta Complexidade: a história por trás do procedimento cardiológico realizado pela paciente Selma

Você pode estar se perguntando: afinal de contas, o que foi realizado em Selma pela equipe do Madrecor? A gente te explica.

Em conversa com o cardiologista Edson, que esteve, junto ao também médico Marcus Vinícius no procedimento, no caso de Selma, o procedimento foi realizado principalmente para avaliar se a lesão era ou não importante e se necessitava ser tratada com outros métodos. “O procedimento que realizamos na paciente foi feito para avaliar a repercussão da obstrução que ela tinha no coração e se ela era realmente importante ou não. O procedimento é conhecido como FFR, que quer dizer Medida de Reserva de Fluxo Fracionado e todo o processo durou em torno de uma hora,” esclareceu Edson.

Segundo Edson, depois de fazer o procedimento e obter os resultados, a equipe percebeu que o caso não demandava uma cirurgia ou algo mais complexo e sim tratamentos clínicos otimizados. “Quando realizamos o procedimento, medimos a pressão dentro da obstrução e ela nos indicou um índice em que não precisamos intervir com uma angioplastia ou outro processo cirúrgico, por exemplo.”

O cardiologista esclarece que a precisão no socorro à paciente e a integração entre a equipe com certeza conservou a vida da paciente. “Considerando que as doenças cardiovasculares estão entre as principais causas de morte em todo o mundo e que, em muitas situações, os resultados imediatos e a longo prazo dependem do pronto reconhecimento e abordagem destas enfermidades, ter uma equipe de profissionais competentes e integrados dentro da cardiologia é fundamental.”

 

Segundo Edson, os tratamentos clínicos otimizados são aqueles em que o paciente deve investir em mudança de estilo de vida e que ele pode sim surtir efeito, se o paciente o seguir corretamente. “Nesse tipo de tratamento, o que indicamos é que o paciente modifique seu estilo de vida, com a inclusão de exercícios físicos, o abandono do fumo, uma alimentação balanceada, a medicação feita de forma correta e um bom acompanhamento médico são a garantia de um tratamento que obterá sucesso,” explica.

Fernando Augusto, que também participou do processo e cuidou de Selma na UTI conta que o Madrecor é hoje a sua casa e considera que o procedimento ofertado à paciente atendeu às expectativas e foi a melhor opção para o caso. “Considero o Madrecor hoje minha casa, me sinto muito bem em trabalhar aqui e quando deslumbramos este cenário, tudo flui de uma maneira harmoniosa no tratamento e cuidado com o paciente e, neste caso, foi exatamente assim. Ofertamos para a mesma o que há de melhor no diagnóstico de doença arterial coronariana, baseado na avaliação clínica e seguindo de forma efetiva as diretrizes da SBC, porém fazendo isso sempre de forma  individualizada e principalmente, humanizada” conta o cardiologista.

O cardiologista Marcus Vinícius esclarece que, além de um atendimento individualizado e humanizado, ele esclarece que o apoio de uma equipe compromissada com a segurança e melhora do paciente faz toda a diferença. “Uma equipe experiente e integrada toma as melhores decisões e faz a diferença, o que, em emergências pode significar a vida ou a morte.  Tudo isto reflete também no próprio hospital, que acaba construindo uma tradição, se tornando uma referência e, assim, sempre buscando se aperfeiçoar.”

 

 

 

Deixar comentário