Número de pessoas com hepatite no Brasil cai 7%

Número de pessoas com hepatite no Brasil cai 7%

Doença é silenciosa e pode evoluir para câncer.

De acordo com dados do último boletim epidemiológico de hepatites virais, divulgado pelo Ministério da Saúde em julho de 2019, o Brasil conseguiu reduzir em 7% os casos de hepatite na última década. Além disso, segundo o boletim, os números de óbitos ligados à doença caíram 9%, mas ainda precisamos avançar muito mais, para conseguir uma redução mais significativa da doença.

A hepatite é uma inflamação no fígado e ocorre por diversos fatores, que podem incluir contaminação por vírus ou o uso de remédios, álcool, drogas ou até mesmo por doenças autoimunes, metabólicas e genéticas.

O curioso da hepatite é que a doença é silenciosa e não costuma apresentar sintomas, mas, quando eles aparecem, devem servir de alerta. Os sintomas mais comuns são: cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

Além do fato de ser algo silenciosa, a hepatite pode evoluir para câncer, pois quando ela se encontra em um quadro crônico, elas podem levar décadas para evoluírem e, consequentemente, apresentar algum sintoma.

A deterioração do fígado poderá resultar, além de câncer, em quadros como insuficiência hepática e cirrose. Vale lembrar também que pessoas sem a doença ativa, ou seja, com sintomas e que sejam portadores da hepatite tipos B ou C podem sim transmiti-la a outras pessoas.

Existem, atualmente, cinco tipos de hepatite dos quais temos conhecimento e, entre eles, os tipos mais comuns são as hepatites virais dos tipos A, B, C e D. Segundo os dados do boletim epidemiológico, o tipo C é o mais letal no Brasil e mais prevalente na população, sendo responsável por 26.617 casos confirmados no ano de 2018.

No caso da hepatite C, ela é transmitida através de sangue contaminado, sexo desprotegido e pelo compartilhamento de objetos cortantes, sendo que, a doença se concentra em pessoas acima dos 40 anos e nesse caso, nem sempre apresenta sintomas.

Prevenção

Sobre a prevenção das hepatites, o Ministério da Saúde alerta para a necessidade e importância do diagnóstico e tratamento precoces, que podem ser feitos através de um acompanhamento contínuo e periódico com o médico de sua confiança. Além disso, a segurança nas relações sexuais, com o uso de preservativo e a vacinação contra hepatite são fundamentais para reduzir o número da doença em nosso país.

Em nosso hospital, a clínica de vacinas tem estoque disponível para a vacinação contra as hepatites virais e, se você quer saber mais e reservar a sua dose, é só ligar para o número: 34 3230- 6080.

Deixar comentário