No Brasil, hipertensão afeta um a cada quatro adultos

No Brasil, hipertensão afeta um a cada quatro adultos

AVC, infarto e outras enfermidades têm como causa principal a hipertensão arterial.

De acordo com dados do Sistema de Informações de Mortalidade, 34 registros de óbitos por hora, ligados à problemas do sistema cardiovascular são registrados no país. Todos esses problemas, como AVC, infarto e outras enfermidades podem ter como causa um único fator: a hipertensão arterial.

Muito se ouve falar dela, mas vale sempre reforçar o que é e quais são os seus sintomas. A hipertensão arterial é o aumento anormal e dentro de um longo período da pressão que o sangue faz para circular dentro das artérias. O indivíduo é considerado hipertenso a partir do registro de uma pressão de 14 por 9, na maior parte do tempo. Nesse limite, o indivíduo corre mais riscos de desenvolver problemas cardiovasculares, renais e em outros sistemas do corpo.

Vale lembrar que a hipertensão afeta, em especial, o coração e como a circulação nas artérias está sobrecarregada, o coração deixa de receber oxigenação e sangues suficientes, o que desencadeia o infarto. Além dele, podemos citar o AVC (acidente vascular cerebral), que ocorre pelo possível entupimento das artérias, devido às agressões constantes da pressão, o que as leva a se romperem, causando o AVC (ou derrame, como é popularmente conhecido).

Além de problemas no sistema cardiovascular, a hipertensão arterial pode ocasionar males no sistema renal, como a insuficiência e pode também deixar marcas no sistema ocular, afetando a retina e deixando a visão embaçada.

Porém, muito além de conhecermos os problemas que a hipertensão causa, é de extrema importância observar e saber, de fato, alguns sinais que nosso corpo pode dar de que algo não está indo bem. Alguns dos sintomas da hipertensão arterial são: dores de cabeça, tontura, sensação de zumbido no ouvido, falta de ar, dores no peito e visão borrada.

Para quem se preocupa com os fatores de risco para a hipertensão arterial, alguns deles devem ser analisados e observados atentamente. São eles: diabetes, doenças renais, idade (mais de 60 anos, quando as artérias perdem a flexibilidade), obesidade, histórico familiar (filhos de pais hipertensos tem 30% a mais de riscos de ter hipertensão).

Vale lembrar que, mesmo em tempos de pandemia, os cuidados com a saúde do coração devem continuar e, ao menor sinal de que algo não vai bem, é sempre recomendado que você procure auxílio médico. Nossa equipe está preparada para te receber e a agenda de consultas cardiológicas está aberta. Para mais informações, e só nos ligar no telefone: 34 3230- 6060.

Deixar comentário