Março Lilás é dedicado à conscientização sobre o câncer de colo do útero

Março Lilás é dedicado à conscientização sobre o câncer de colo do útero

Apesar da doença ser assintomática em fases iniciais, exames preventivos podem detectá-la.

O mês de março chegou e, com ele, uma nova campanha voltada à saúde feminina: o Março Lilás. Nela, o foco principal é a conscientização das mulheres quanto ao tratamento e diagnóstico corretos para o câncer de colo do útero, que pode atingir até 80% das mulheres sexualmente ativas.

De acordo com Danielle Araújo Goes, ginecologista do Madrecor Hospital, o câncer de colo do útero está associado à infecção por alguns subtipos do vírus HPV. Além disso, alguns outros fatores podem influenciar diretamente no câncer e devem ser observados com atenção. “Outros fatores como, imunidade, genética e comportamento sexual parecem influenciar os mecanismos ainda incertos que determinam a regressão ou a persistência da infecção e, também, a progressão para lesões precursoras ou câncer. Sendo assim, o tabagismo, idade maior que 30 anos, a iniciação sexual precoce e a multiplicidade de parceiros sexuais são considerados fatores de risco para o desenvolvimento de câncer do colo do útero”, explica Danielle.

Muitas mulheres acreditam que o câncer apresentará sintomas em seus estágios iniciais, porém a ginecologista esclarece que o câncer de colo do útero não apresenta sintomas e que eles aparecerão em estágios mais avançados. “O câncer de colo de útero, por ser de desenvolvimento lento, em fases iniciais é assintomático, já em estágios mais avançados pode ter como apresentação sangramento intermitente, sangramento após a relação sexual, sintomas urinários e intestinais, sinais de fístulas vaginais e dores em baixo ventre.”

Mas você pode se perguntar: como então eu posso me prevenir da doença? Danielle esclarece que um conjunto de fatores é necessário para isso, o que inclui os exames preventivos e a vacinação contra o HPV, que é o vírus causador das infecções que podem levar ao câncer. “O rastreamento do câncer de colo uterino é feito com o exame preventivo, popularmente conhecida como Papanicolau, sendo a principal estratégia para detectar lesões precursoras e fazer o diagnóstico precoce da doença. Vale lembrar que esse exame preventivo é simples, rápido e indolor. Além dele, podemos acrescentar como forma de prevenção a vacina contra HPV, disponível na rede pública de saúde para meninos e meninas de 9 a 14 anos, já que ela é mais eficaz quando administrada antes do início da vida sexual, e também disponível na rede particular que, conforme bula, deve ser administrada em adultos e crianças de 9 a 26 anos.”, esclarece.

Danielle reforça que existem sim outras formas de se prevenir contra a infecção pelo HPV e que dependem muito do comportamento de cada indivíduo. “Outra maneira de prevenir contra a infecção pelo HPV é não se expor a comportamento sexual de risco (múltiplos parceiros), e principalmente, utilizar preservativo em todas as relações sexuais,” finaliza.

E aí mulheres, que tal cuidarmos da saúde hoje? Não deixe para depois. Cuide-se!

 

 

 

Deixar comentário