Glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível

Glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível

Em Dia Nacional de Combate ao Glaucoma, Madrecor Hospital alerta para os cuidados com a doença. 

De acordo com projeções da Organização Mundial de Saúde (OMS), em 2020 o glaucoma poderá afetar até 80 milhões de pessoas, chegando à 111,5 milhões no ano de 2040.

O glaucoma é uma doença que atinge a visão e, por vezes, a desinformação ou a falta de cuidados precoces podem levar a consequências sérias.

O oftalmologista do Madrecor Hospital, Tadashi Ono Junior, explica que a doença está muito relacionada ao aumento da pressão ocular. “O glaucoma é uma doença dos olhos, mais especificamente do nervo óptico e das fibras nervosas da retina. Acontece uma lesão nestas estruturas, que leva à atrofia e perda da função visual, de forma irreversível”, explica.

Além disso, Tadashi explica que a doença pode atingir todas as idades, porém a mais afetada e que merece atenção é a faixa etária idosa. “O glaucoma pode atingir todas as idades: desde recém- nascidos, crianças e adolescentes, até os idosos, que são os mais frequentemente afetados. Em sua maioria, eles têm origens herdadas geneticamente, levando à uma constituição corporal que faz com que a pressão ocular aumente ou com que as células nervosas sofram algum dano. Em outros casos, são decorrentes de outras doenças oculares como catarata, alta miopia, diabetes, tumores oculares, má-formação artério-venosa cerebral, inflamações intraoculares, entre outros fatores,”.

Segundo o oftalmologista, a melhor maneira de se prevenir o glaucoma é com a realização de exames periódicos e que investiguem, de maneira completa, a pressão ocular e aparência do nervo óptico. Vale lembrar que este exame mais detalhado não é apenas o que utiliza-se para correção do grau em pacientes que usam algum tipo de lente corretiva.

As consequências de um glaucoma não tratado são sérias, podendo levar à perda de visão e que, a princípio, pode ser imperceptível ao paciente. “O glaucoma não tratado pode chegar até a cegueira, em alguns casos. Isto leva à grande prejuízo na qualidade de vida e bem estar da pessoa afetada.”

Se a frase “A prevenção é o melhor remédio” deve ser levada para a vida, o oftalmologista diz que a prevenção realmente faz a diferença, tanto para o glaucoma, quanto para tantas outras doenças oculares. “Deve-se consultar o oftalmologista regularmente, no mínimo anualmente, para avaliação e tratamento precoce, uma vez que isto pode prevenir a cegueira e proporcionar ao paciente uma vida de qualidade,” finaliza Tadashi.

Deixar comentário