Abril Azul visa conscientização sobre o autismo

Abril Azul visa conscientização sobre o autismo

ONU contabiliza cerca de 70 milhões de pessoas em todo o mundo com autismo.

Em todos os meses do ano, visualizamos campanhas em prol de determinadas causas, ligadas ou não ao ramo da saúde. Nesse mês, abordamos uma temática que ainda precisa ser discutida.

O Abril Azul é dedicado à conscientização e troca de informações sobre o autismo, que afeta, em todo o mundo, cerca de 70 milhões de pessoas e, no Brasil, 2 milhões de pessoas.  Muitos deles, ainda não possuem qualquer diagnóstico médico, o que compromete diversas áreas da vida, como o aprendizado e as oportunidades no mercado de trabalho.

Mas, afinal de contas, o que é o autismo? Ele se caracteriza como um transtorno de desenvolvimento que afeta a capacidade de comunicação e interação do indivíduo. Ele pode se manifestar em diferentes graus, afetando o sistema nervoso e seus sintomas mais comuns incluem dificuldade de comunicação, dificuldade com interações sociais, interesses obsessivos e comportamentos repetitivos.

Segundo dados da consultoria global Specialisterne, que gerencia diversas empresas e possui clientes no Brasil, existe uma taxa de 93% no que diz respeito à retenção desses profissionais após um ano de contratação. Além disso, atualmente, autistas que possuem alto rendimento têm sido reconhecidos e possuem uma representante de peso, a ativista Greta Thunberg, que possui um dos espectros do autismo, a Síndrome de Asperger.

Empresas que fazem a diferença

Dentro de toda essa realidade, porém, existem empresas que têm dado visibilidade à causa. Como exemplos, podemos citar a vans, marca conhecida globalmente por tênis, camisetas e artigos esportivos, que criou uma coleção especial para ressaltar a importância da causa. Na coleção, os produtos vêm com elementos sensoriais inclusivos, como uma paleta de cores calmas e são feitos de materiais ultra confortáveis.

Já a Netflix, streaming de séries e filmes, lançou, em 2017 a série Atypical, que retrata a trajetória de um jovem autista de 18 anos que estuda, trabalha e vivencia todos os dilemas da idade e de sua condição. Além disso, a empresa Auticom, que está no mercado desde 2011, voltada à tecnologia e inovação, tem em seu quadro de funcionários mais de 75% de funcionários autistas.

O que vale lembrar, dentro de toda a realidade que vivemos hoje, é que os autistas possuem sim habilidades e podem conviver bem em qualquer ambiente. O apoio e cuidado da família, a observação desde a infância e principalmente, o diagnóstico do autismo são de extrema importância para que eles se sintam incluídos e possam demonstrar todo seu potencial.

 

Deixar comentário