O uso de contraste em exames sem medo

O uso de contraste em exames sem medo

Utilizado em alguns tipos de exames, o contraste é uma substância que permite uma melhor avaliação de certas estruturas do organismo, ajuda a identificar lesões e preencher vasos do corpo. Em diversos casos, é indispensável para se ter um diagnóstico mais preciso.

“Antigamente o contraste comumente causava reações alérgicas, algumas graves, como choque anafilático e até óbito. Entretanto, hoje em dia, a possibilidade do uso dessa substância causar alguma reação é muito pequena, comparável, por exemplo, a uma pessoa viajar de avião e ele cair. No caso do gadolíneo, substância usado no contraste da ressonância magnética, os riscos de reações alérgicas graves são de 0,01%, explica Dr. Alisson Oliveira, coordenador do setor de imagem do Madredor Hospital.

De acordo com o especialista, o medo ao uso do contraste para exames de tomografia ou ressonância magnética pode, algumas vezes, prejudicar o diagnóstico. Isso porque o composto químico “aumenta a visibilidade dos tecidos e facilita a identificação de possíveis anomalias, como tumores”, argumenta.

Para a segurança do paciente, vale ressaltar que, afim de evitar possíveis intercorrências, é necessário que o paciente comunique ao médico caso ele tenha alergias, histórico de asma/bronquite ou apresentado quadro prévio de reação ao contraste.

Pacientes que apresentam insuficência renal (filtragem dos rins comprometida), podem ter complicações adicionais com o uso do contraste venoso. Portanto, deve-se avaliar individualmente cada caso, sendo que para os pacientes graves, o uso de contraste provavelmente será contra-indicado.

 

Deixar comentário